Festival Sarará

1/10 - Festival Sarara

2/10 - Festival Sarara

3/10 - FESTIVAL SARARA 2019

4/10 - FESTIVAL SARARA 2019

5/10 - FESTIVAL SARARA 2019

6/10 - FESTIVAL SARARA 2019

7/10 - FESTIVAL SARARA 2019

8/10 - Festival Sarara

9/10 - Festival Sarara

10/10 - Festival Sarara

  • Festival anual de música brasileira e alternativa;
  • Criado em 2014, já teve 6 edições no Parque das Mangabeiras, no Parque Municipal e no Mineirão;
  • DESPERTAR para ACEITAR para CONVIVER para EVOLUIR para SENTIR.

Sarará é um festival de S E N T I R.

Em 6 edições, já falamos sobre amor (2014), respeito (2015), intolerância (2016), celebração (2016), o exercício de tirar nossas máscaras (2018) e empatia (2019). Provocamos o sentir — para despertar, aceitar, conviver e evoluir — na música e nos encontros.

Como festival, promovemos mais do que um encontro. Produzimos uma celebração da multiplicidade — uma experiência de entender, refletir, acolher e conectar. Desse encontro, já participaram artistas como Gilberto Gil, Iza, Emicida, Djonga, Mano Brown, Tom Zé, Criolo, Lenine, Pabllo Vittar, Ney Matogrosso, Silva, Johnny Hooker, Duda Beat, Nação Zumbi, Mc Carol, Mallu Magalhães, Lagum, Baianasystem, Tulipa Ruiz e Liniker.

Sarará é uma ideia de valorização e liberdade de GENTE, em toda a sua complexidade. Uma experiência de união de sentidos entre público, produção e arte. De conexão entre pessoas com todos os credos, de várias cores, com todas as orientações sexuais e com vivências e perspectivas múltiplas.

06
anos
06
edições
+ de 65
artistas
120 mil
pessoas

Festival Jângalove

1/10 - Festival Jângalove

2/10 - Festival Jângalove

3/10 - Festival Jângalove

4/10 - Festival Jângalove

5/10 - Festival Jângalove

6/10 - Festival Jângalove

7/10 - Festival Jângalove

8/10 - Festival Jângalove

9/10 - Festival Jângalove

10/10 - Festival Jângalove

  • Uma parceria entre Jângal e A Macaco;
  • Festa de brasilidades consolidada no circuito de Belo Horizonte;
  • Visibilidade para blocos e bandas mineiras.

Misturando carnaval, malemolência, farra e música brasileira de todos os estilos, o Jângalove coleciona edições de sucesso. Criado em 2014 em uma parceria entre A Macaco e Jângal, o festival surgiu como um pré-carnaval que, além de abrir as portas para o período de folia, trazia visibilidade para blocos e bandas mineiras.

Em 2019, o rolê entrou em uma nova fase: a energia de folia se fundiu à ideia de brasilidade até o caroço, tornando a tropicalidade e a valorização da música local os novos conceitos principais do festival. A animação e alegria do carnaval continuam, mas agora transbordam durante o ano inteiro.

De blocos a DJs ou de música pop ao techno, o Jângalove celebra a diversidade criativa do que é produzido em solo nacional. Alto astral, brasilidade e fervo tropical são coisas que nunca vão faltar nesse festival!

06
anos
23
edições
150
artistas
92 mil
pessoas

Festival de Jazz

1/10 - Festival de Jazz

2/10 - Festival de Jazz

3/10 - Festival de Jazz

4/10 - Festival de Jazz

5/10 - Festival de Jazz

6/10 - Festival de Jazz

7/10 - Festival de Jazz

8/10 -

9/10 -

10/10 -

  • Festival de Jazz gratuito na rua;
  • Valorização de artistas locais;
  • Foco em música instrumental

Primeiro Ato: escute com o coração
Você precisa saber a teoria arquitetônica para apreciar uma obra de Oscar Niemeyer? Não. Você apenas visualiza, se apaixona e jamais esquece. Você usa os olhos, não a cabeça. O mesmo acontece com o Jazz. Um gênero que deveria ser para tod@s, mas que sofre com o preconceito do público, no sentido de que seria “música difícil”. Só que o nascimento do Jazz, nas ruas de Nova Orleans (EUA), mostra outro panorama: era música de essência popular.

Segundo Ato: abra sua mente
Os anos 50 na Lagoinha nunca foram tão brilhantes. Seresteiros, dançarinos e amantes da noite contrastavam com os casarões antigos em um baile sem fim. O tempo passou e a região sofreu com demolições e o abandono, deixando as lembranças de uma época dourada, apenas na memória de pessoas mais velhas. O bairro, talvez, se enlace com o Jazz em algum momento, na caixa das situações que merecem um recomeçar.

Terceiro Ato: palco e rua
Além de apresentar grandes nomes da cena instrumental de Belo Horizonte, o Festival de Jazz agrega a cultura do “busking”, que apresenta a música de qualidade em espaços públicos como metrôs, praças e vias públicas de maneira intimista, próxima e acessível ao público expectador. A criação desse contexto não só chama a atenção para a rua e região de realização como dá visibilidade para músicos e artistas mineir@s ainda não consagrados na cena musical e que carecem de espaços para visibilidade.

02
anos
02
edições
10
artistas
7 mil
pessoas

Cases

#SOUMINASGERAIS

  • Evento beneficente em prol das vítimas atingidas pela barragem da Samarco, no município de Mariana – MG.
  • Rolou em dezembro de 2015.
  • Com Caetano Veloso, Criolo, Jota Quest, Milton Nascimento, Tulipa Ruiz e Emicida.
#SOUMINASGERAIS

Carnavália

  • Festival de Carnaval com 4 dias de duração.
  • Rolou em fevereiro de 2017.
  • Com Nando Reis, Buchecha, Karol Conka, Gabriel O Pensador e vários blocos de carnaval da cidade.
Carnavália

Benedito

  • Movimento pré-carnaval para inspirar, consagrar e receber o carnaval de braços abertos.
  • Teve duas edições: em janeiro de 2018 e em fevereiro de 2019.
  • Com Baianasystem, Nação Zumbi, Chama o Síndico, Festa Sinestésica, Pena de Pavão de Krishna e outros.
Benedito

Sonoriza

  • Financiamento Carnafestivo: o dinheiro arrecadado é dividido entre a produtora e os blocos de carnaval de rua participantes.
  • A Macaco foi produtora das edições de 2016, 2017 e 2019.
  • Produzida em parceria com os blocos Então, Brilha!, Havayanas Usadas, Pena de Pavão de Krishna, Tchanzinho Zona Norte, Garotas Solteiras e Juventude Bronzeada.
Sonoriza

Orlando – 100 anos

  • Festival para celebrar o centenário do bar mais antigo de Belo Horizonte.
  • Aconteceu em dezembro de 2019.
  • Foi gratuito, na rua, na praça do bar que é símbolo pra cidade.
Orlando – 100 anos

Capacitação de Pessoas Idosas e Pessoas Trans

  • Realização da MacacoLab
  • O projeto teve início em 2018.
  • Atuação no Festival Sarará e em outros festivais da editora.
Capacitação de Pessoas Idosas e Pessoas Trans